Quem Somos

Origem de nosso Mosteiro

O Mosteiro Preciosíssimo Sangue, não terá outro atrativo se não o próprio Deus como raiz única de sua existência, onde Ele é o centro de tudo. Com a intenção de que este Mosteiro seja um “refúgio para as almas”, é que as religiosas se dedicam no ato contínuo de reparação, manifesto no dia-a-dia, através da oração e do trabalho, sejam estes os afazeres domésticos ou artesanais, bem como os estudos, na lectio divina, na Adoração ao Santíssimo Sacramento, nas penitências e nos pequenos sacrifícios. Tudo na santa alegria fraterna.

Não tem como falar do ramo sem falar da árvore! Tudo forma uma só coisa: “Com efeito, o corpo é um e, não obstante, tem muitos membros, mas todos os membros do corpo apesar de serem muitos formam um só corpo” (ICor 12,12).

Desse modo, podemos dizer que a origem da vida monástica das Pobres de Jesus Cristo se deu na do próprio Carisma; visto que pertencemos a Fraternidade “O Caminho”, como popularmente chamamos. Os pobres nos seus múltiplos rostos são os destinatários da missão dos “Pobres de Jesus Cristo”, NF 59. Por conseguinte, somos chamadas pela misericórdia divina, a sustentar na oração nossos irmãos que estão inseridos nas diversas realidades pastorais.

Despontar do pequeno broto

Entre os anos de 2004 e 2005, com apenas 4 anos de fundação da Fraternidade “O Caminho”, Nosso Senhor fez nascer o mosteiro primeiramente na alma das irmãs: Judite do Coração Sacerdotal, Pietá dos Santos Estigmas e Suzana do Coração Agonizante de Jesus. Estas irmãs receberam de Deus o nobre chamado para estarem aos pés do Tabernáculo em adoração perpétua e reparação pela Igreja, Carisma e por toda a humanidade. Com o coração abrasado uma das irmãs em partilha com fundador, manifesta o desejo de se consumir em oração, silêncio e sacrifício na clausura pelas almas, escutou do mesmo: Deus quer esse lugar! Espera que um dia vai existir. Para o Padre Gilson estava muito claro que o Carisma “Jesus todo, todo de Jesus”, também teria esse aspecto contemplativo. Há em nós uma profunda vontade e até quem sabe uma ousada pretensão de querer Jesus por inteiro e de ser d’Ele também por inteiro, NF 1.

Nesse interim, no início do ano de 2011, se reuniram no Noviciado São Damião (Corbélia-PR) 14 irmãs que se sentiam chamadas à vida monástica, lá ficaram alguns dias em oração, escuta e partilha, com o propósito de saberem quais os caminhos que Nosso Senhor iria conduzi-las a partir dessa jornada interior que há anos haviam percorrido. Também tiveram a oportunidade de se encontrarem com o Fundador, o qual em reunião expos algumas moções do Espírito e deu algumas orientações.

Desabrochar

Após 7 anos desse surgimento “espiritual”, isto é, na alma! Para a honra e glória de Deus, nos dias 02 de março de 2012, na cidade de Governador Valadares-MG, houve a manifestação concreta da inspiração que nossas irmãs tiveram, dando-se início à experiência de vida monástica com as seguintes irmãs: Veronica do Coração Estigmatizado (custódia), Irmã Mikaela do Coração Eucarístico, Irmã Clemência do Santo Calvário, Irmã Teca de Jesus e Irmã Sulamita do Amado de Minh ’alma. A nossa primeira casa recebeu o nome de “Beatério Sacro Cor Iesus”. Na missa de inauguração durante a homilia disse-nos o saudoso Dom Werner Franz Siebenbrock (Bispo da diocese local): “O Coração de Jesus foi cravado na Cruz, fazendo-se um só com ela; que o vosso seja assim”. Disse ainda que aquele lugar e a presença das irmãs eram a resposta de dez anos de oração daquele povo. Referia-se a Associação Sagrado Coração de Jesus que há dez anos rezava e esperava por um mosteiro.

Éramos totalmente cruas! Porém, possuíamos uma busca profunda por uma vida séria já existente na Igreja. Sempre fomos orientadas pelo nosso Fundador a conservar o espírito comunitário, a vida fraterna, a oração e a unidade. Dizia-nos que estes são pontos essenciais para um início. Tudo o que vivíamos era muito intenso! A unidade gerava oração, da oração brotava o trabalho, de ambos surgia o desejo de estar a sós no silêncio e na clausura. Somente dois dias da semana tínhamos a Santa Missa em casa e algumas vezes os frades (do nosso instituto) nos levavam para participar em alguma Igreja. Outras vezes ficamos sem Missa. Sempre estiveram presentes em nossas vidas, a espiritualidade Eucarística, contemplação da Paixão do Senhor, devoção ao Sagrado Coração de Jesus, penitência, jejum, oração reparadora pelos sacerdotes e a meditação da Palavra de Deus, bem como o atendimento ao povo (orientação espiritual); uma vez que somos chamadas a viver em constante oração e imolação, escondidas no silêncio do claustro, como sacrifício voluntário. “Sede tochas que acompanham o caminho dos homens e mulheres na noite escura do tempo” (VDQ). 

Vinda e instalação do Mosteiro em Jacarezinho

Aos 13 de janeiro de 2014 às irmãs Agnes e Eclésia foram à cidade de Jacarezinho a fim de conhecer para uma possível abertura do segundo Beatério. Na chegada, calorosa acolhida de Dom Antônio Braz, o qual as acolheu em seu Palácio Episcopal. 

Louvado seja Deus pela acolhida dos sacerdotes e todo povo de Deus, todos manifestaram o desejo da presença religiosa na diocese.

As irmãs chegaram definitivamente aos 29 de janeiro após quatro dias de missão e conversa com Padre Gilson e após capitulo regional para antecipar algumas coisas até a chegada das outras irmãs que iria compor à comunidade, o segundo Beatério Preciosíssimo Sangue.

E aqui a nossa gratidão ao nosso saudoso Dom Mauro Aparecido dos Santos, que intermediou a nossa vinda para a diocese de Jacarezinho.

Em uma curta experiência vimos que era muito cedo para nos separar, enquanto grupo; então resolvemos fechar o “Beatério Sacro Cor Iesus” de Governador Valadares e nos juntar às irmãs de Jacarezinho e assim podermos com o auxílio da graça fortalecer as bases e avançar para as águas mais profundas. Chegaram então o restante das irmãs em Jacarezinho no dia 24 de março de 2015.

Agradecemos a paciência de Deus manifesta na Sua Igreja, por meio dos seus pastores, por ter nos permitido nascer e desabrochar. 

“Deus continua nos dando forma!”