A adoração reparadora é um verdadeiro apostolado

A adoração reparadora é um dom, uma vocação que nasce de alguém que ama com um coração generoso a Deus. São Francisco, homem apaixonado por Jesus, já gritava pelas ruas de Assis: o Amor não é amado, o Amor não é amado. As almas que se aproximam de Nosso Senhor e se deixam ser alcançadas por Ele sentem uma necessidade de união cada vez mais profunda com Deus. E nessa busca, sentem o chamado a unir-se a Ele também no seu sofrimento, nas suas dores e angústias; e pela Graça divina, passam a participar cada vez com mais intensidade da vida divina de modo que vão colaborando cada vez mais com o mistério da redenção.

Somos pecadores, possuímos uma natureza inclinada ao pecado, e poderíamos perguntar-nos: Jesus Cristo, sendo Deus e já tendo morrido na Cruz precisa de nós para salvar a humanidade? e em que nossa adoração reparadora pode acrescentar à Sua obra redentora? Primeiramente Ele sim já morreu por todos, e nos salvou de modo objetivo, mas essa salvação se concretiza nas nossas vidas à medida que aderimos a Ela com nossa liberdade, e para que essa salvação se dê ele quer precisar de nós, Ele quer salvar a humanidade por mediações humanas. Somos realmente frágeis, mas através de Sua Graça nos permite unir nosso sacrifício imperfeito ao Seu sacrifício infinito e perfeito, e pelos Seus méritos, nossa reparação passa ser tida em conta. 

Na Santa Missa, Jesus Cristo segue se imolando, se ofertando por amor a nós; seu sacrifício não é mais sangrento e doloroso como na cruz, mas se renova e Ele nos salva em cada missa celebrada, e segue de algum modo sofrendo pelos nossos pecados, pela nossa indiferença para com Ele, por não darmos a Ele seu devido lugar nas nossas vidas por vivermos como se Ele não existisse. Somos chamados a completar em nós o que faltou a paixão de Cristo (Cl 1, 24), e a com nossos pequenos sacrifícios somos chamados a participar como membros do corpo místico de Cristo da Sua Paixão. Não há ocasião melhor de entregarmo-nos em reparação do que diante dEle na Santa Missa e na adoração eucarística, pois as suas misericórdias são inesgotáveis, renovam-se cada manhã; grande é a sua fidelidade (Lm 3,22-23).

Devemos amá-lo em reparação inicialmente pelos nossos próprios pecados pois somos os primeiros a ofender Sua bondade infinita. À medida que entramos por esse caminho de adoração reparadora, mais dor vamos sentindo pelos nossos pecados, e o natural que aumente o nosso amor a Ele, fazendo-nos deixar gradativamente de ofendê-lo. O passo seguinte é adorar em reparação pelos pecados do mundo inteiro. Se não colocarmos obstáculos à Sua Graça, seremos convencidos que a reparação é um verdadeiro apostolado, e à medida que o exercermos, aumentará em nós o zelo pela salvação das almas e brotará em nós um desejo cada vez maior de reparar as ofensas cometidas a Ele pela humanidade. 

Nosso Senhor Jesus Cristo está presente nos sacrários do mundo inteiro e espera pacientemente por nossa visita a Ele. Acorramos rapidamente a Ele, e façamos nossa a oração ensinada pelo anjo aos pastorinhos em Fátima: Meu Deus! Eu creio, adoro, espero e amo-Vos. Peço-Vos perdão pelos os que não creem, não adoram, não esperam e não Vos amam.

Fr. Iluminatto do Coração Sacratíssimo de Jesus

Artigo anteriorMemória e Gratidão
Próximo artigoSanta Missa e Bênção lançamento da Pedra Fundamental da Igreja Preciosíssimo Sangue em Carlópolis/PR

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui